Ano letivo | Guilherme Otani

Ano letivo

Um novo ano letivo começa e os estudantes se preparam para a volta às aulas… Pais e responsáveis se preocupam com material, uniforme e matrícula… E vem a difícil escolha do modelo ideal de mochila.

Qual é a mais apropriada? Quais critérios devem ser levados em consideração?

O ortopedista pediátrico Diogo Covre dá valiosas dicas para que os pequenos não sofram com o peso de uma mochila inadequada: “O modelo pode ser de alça ou rodinhas, sendo que o peso que a criança leva nas costas não deve ultrapassar 10% do seu peso corporal”, aponta.

Independentemente do modelo escolhido, a dica é não carregar o peso por longas distâncias e/ou por trajetos sinuosos, com subidas e descidas. Isto poupa um desgaste para a própria criança, que tem de guardar a energia para as atividades escolares. “Se escolher uma mochila para as costas, as que possuem duas alças dividem melhor o peso com os dois ombros e concentram melhor na região central do corpo”, diz Covre.

Mas se a escolha for de uma alça, é preciso atentar para a alternância, revezando o peso entre os dois ombros. “Com o peso adequado e o devido cuidado, é possível levar os materiais escolares diariamente de maneira saudável. Se a criança sentir dor, incômodo ou cansaço para realizar as atividades diárias, é hora de procurar um especialista”, diz o profissional.

Má postura durante as aulas

Outro assunto que merece a atenção durante o ano letivo é a postura das crianças na sala de aula. Evidentemente, as escolas possuem cadeiras e mesas adequadas ao tamanho das crianças, sejam elas do Ensino Fundamental ou do Médio. “Afinal, o peso e o tamanho dos estudantes muda e os móveis precisam ser sempre adaptados a eles”, , afirma Diogo.

Para saber se uma cadeira está na altura adequada, o especialista afirma que a criança tem de ficar com o joelho em 90 graus e os pés totalmente apoiados no chão. As cadeiras devem ter encosto nas costas, de modo que a coluna lombar fique inteiramente em contato com ele.

A altura da mesa também deve ser avaliada. “A altura ideal é aquela em que o antebraço e o cotovelo estão apoiados totalmente e, nesta posição, não há elevação dos ombros. Do contrário, ela está alta. E se o aluno está inclinado ou curvado para frente, a mesa está baixa”, especifica.

E como a permanência na mesma posição por longos períodos pode ser prejudicial, é sempre recomendável fazer um intervalo entre uma aula e outra, alongar, andar e se hidratar. “Isto ajuda a relaxar a coluna e diminuir o estresse para as próximas aulas”, afirma Covre.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta