Personalidade

Personalidade

Algum tempo atrás, pensar na pintura da casa significava pensar apenas nas paredes, uma vez que geralmente nos concentramos no que está na altura dos olhos. Ultimamente, no entanto, o teto ganhou destaque, e o que dita a pegada de tal pintura é a personalidade do morador (ou o que se deseja transmitir no espaço).

Antes de começar, é importante saber se o teto (obviamente forrado) possui algum problema de infiltração ou mofo. Se a resposta for positiva, a prioridade é consertá-lo.

Importante: nenhuma cor é contraindicada, muito pelo contrário. Se você está com medo de se arrepender, comece aplicando um tom pastel; para se adaptar. O resultado mais suave, ainda assim, imprimirá personalidade.

Móveis e objetos possuem cores neutras? Se sim, as chances de acertar com tons vivos são maiores. Caso a mobília e os itens decorativos já possuam cores mais fortes, talvez seja interessante optar por tons mais suaves ou neutros.

Para a arquiteta Ludmila Costa, uma boa opção fica por conta da instalação de papéis de parede com textura de madeira ou palha (recomendamos que o leitor veja as opções da Bella Cintra), pois eles conferem aconchego e, ao mesmo tempo, são materiais neutros; que não necessariamente precisam ter cor (ótimos para quem não quiser se arriscar muito). “Garanto que o acabamento desta forma vai surpreender: você não entenderá o porquê de não ter feito isto antes!”, finaliza Ludmila, autora do projeto/foto (créditos para Rita Bonanata) que ilustra este post.

Aprendi a ser jornalista na marra.

Sou formado em Direito mas, desde que me conheço por gente, curto comunicação. E a curtida é latu sensu: jornal, rádio, TV, revistas e, mais recentemente, redes sociais.

Com base nestes mais de 20 anos de prática e passagens por vários veículos, o que um dia foi um blog, virou site: o “GO” tem a incumbência de trazer informação variada, dicas, falar sobre cultura e cobrir o social do pedaço.

Hope you enjoy.

15 de março de 2021

Compartilhe com seus amigos:

imagem_144